A marca tradicional Passado Composto foi fundada em 1988 na Rua da Consolação, nos Jardins, em São Paulo. Em 2002, foi inaugurado o seu segundo endereço na Alameda Lorena, nos Jardins, em São Paulo, com a galeria Passado Composto Século XX, especializada em móveis, arte, design, peças de época e tapeçarias.
A galeria tem como uma de suas missões resgatar a memória e valorizar o design nacional histórico, tendo sido assim precursora em realizar exposições e pesquisas em homenagem aos mestres e designers modernos brasileiros.
Suas exposições geram publicações de livros pela galeria, através de suas pesquisas e de curadores convidados. A galeria também produz e divulga, na sua conta no Youtube, pequenos documentários sobre suas exposições e divulga outros filmes e entrevistas, relacionados aos seus artistas favoritos.
Em 2009, a exposição "SEMPRE MODERNOS" com a curadoria de Adélia Borges, marcou a disposição da galeria em focar seu acervo nos seus designers modernos favoritos: Joaquim Tenreiro, Sergio Rodrigues, Jorge Zalszupin e Jean Gillon, além de muitos outros.
A galeria e sua diretora, Graça Bueno, colaboraram com o Museu da Casa Brasileira (MCB), em São Paulo, para a exposição "DESIGN BRASIL 101 ANOS DE HISTÓRIA", em 2010, além de ter doado a poltrona "Jangada", do Jean Gillon, uma cadeira desenhada pelo Geraldo de Barros para a Unilabor, a cadeira "Del Rey" e uma mesa auxiliar do designer Jorge Zalszupin para a "COLEÇÃO MCB - NOVAS DOAÇÕES", em 2016. Também colaboramos com as exposições "OS MODERNOS BRASILEIROS +1", em 2010, e a exposição "JERZY ZALSZUPIN - ARQUITETURA, DESIGN E REEDIÇÃO", em 2012, ambas no Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba. Participamos também de palestras, edições de livros nacionais e internacionais, salões de design como do "I Salão de Design" na Oca São Paulo em 2011 e da "MADE" em 2013, 2014, 2015 e 2017 e do "DW-SP" em 2013, 2014, 2015 e 2016.
Em setembro de 2012, em comemoração ao seu décimo aniversário, a galeria realizou a exposição e o lançamento do livro "ARTISTAS DA TAPEÇARIA MODERNA", com curadoria de Alejandra Muñoz, apresentando tapeçarias, estudos, cartões-modelo, documentos e vídeos, reafirmando a paixão de sua diretora, Graça Bueno, pela nossa brasilidade moderna artística e única. Assim, tapeçarias históricas dos artistas renomados como Genaro de Carvalho, Jacques Douchez, Jean Gillon, Norberto Nicola, Rubem Dario e Eva Soban fazem parte do acervo.
A galeria realizou várias exposições com curadoria própria, entre 2012 e 2015, como "O BRASILEIRO JORGE", "TENREIRO", "ASSINATURAS MODERNAS", "GENARO DE CARVALHO NOS TEMPOS DE LINA BO" e "NAS TRAMAS DE NICOLA".
Realizada em agosto de 2015, a mostra "NAVEGANDO COM JEAN GILLON", com a curadoria de Enock Sacramento e Graça Bueno, reuniu obras do arquiteto e designer Jean Gillon (Iasi-Romênia/1919-São Paulo-Brasil/2007) nos campos do mobiliário moderno, objeto, tapeçaria, cenografia, pintura, desenho e escultura, produzidos entre 1940 e 2005. Simultaneamente à exposição, a galeria Passado Composto Século XX relançou a famosa e premiada poltrona "Jangada" de Gillon, com exclusividade e com a autorização da família Jean Gillon, em edição limitada.
Em abril de 2016, participou da exposição "NAS CURVAS DO MODERNISMO DE TENREIRO A NIEMEYER", com curadoria de Graça Bueno, na "Design-SP-Arte", e simultaneamente na galeria, que apresentou cronologicamente desde os primeiros móveis modernos brasileiros, iniciando com as curvas suaves da pioneira e icônica poltrona "Leve" de 1942, concebida pelo mestre Joaquim Tenreiro, às curvas livres e sensuais do mobiliário criado pelo grande arquiteto Oscar e Anna Maria Niemeyer entre 1971 a 1980.
No período de outubro de 2016 a fevereiro de 2017 apresentou a mostra "ARTISTAS DA TAPEÇARIA MODERNA II", expandindo o universo da exposição apresentada em 2012, que contava com obras de Genaro de Carvalho, Jacques Douchez e Jean Gillon, reunidos, àquela época, em um livro editado pela galeria - "ARTISTAS DA TAPEÇARIA MODERNA". Desta vez, juntaram-se ao trio outros quatro artistas tapeceiros: Norberto Nicola (completando a histórica parceria do Atelier Douchez-Nicola), Rubem Dario, Edmar de Almeida e Eva Soban. A mostra teve curadoria de Antonio Carlos Suster Abdalla e Graça Bueno.
Em abril de 2017, participou da segunda edição da "Design na SP-Arte 2017", com a mostra "ARTE TECIDA - DE ABAKANOWICZ A NICOLA - DESIGN - DE WARCHAVCHIK A SERGIO RODRIGUES", com curadoria de Graça Bueno, que apresentou ícones internacionais e nacionais da Arte Tecida e do Design Moderno, que na sua maioria participaram de Bienais de Arte de São Paulo, como os artistas Magdalena Abakanowicz, Jagoda Buic, Genaro de Carvalho, Jacques Douchez, Norberto Nicola, Rubem Dario e Eva Soban. Além dos designers Gregori Warchavchik, Joaquim Tenreiro, Geraldo de Barros, Sergio Rodrigues, Jorge Zalszupin e Jean Gillon e algumas manufaturas relevantes como Branco & Preto, Móveis Ambiente e Unilabor. Participaram também os contemporâneos Ruy Teixeira com fotografia e Cida Santana com iluminação.
Em agosto de 2017, abriu a mostra "RODRIGO BUENO CELEBRA O LEGADO DE NORBERTO NICOLA". O artista Rodrigo Bueno, do ateliê "Mata Adentro" criou uma instalação pendente, de uma trama de ferro "Rebento" que sai uma diversidade de cordas, fios e folhas de palmeira entrelaçados entre si.
O acervo de mobiliário de época se completa com criações de importantes designers como, Oscar e Anna Maria Niemeyer, Lina Bo Bardi, Carlo Hauner, Martin Eisler, Geraldo de Barros, Percival Lafer e de representativas manufaturas como, Móveis Ambiente, Branco & Preto, Carlo Hauner, Celina, Cimo, Fátima, Jatobá, Liceu de Artes e Ofícios, Mobília Contemporânea e Novo Rumo entre outros. Além de lustres e objetos dos Anos 50, 60 e 70 que compõem a ambientação moderna. E pela grande apreciação e admiração ao design escandinavo, a galeria representa com exclusividade no Brasil o designer Bruno Mathsson, eleito o melhor designer sueco do século XX pelos seus móveis leves e ergonômicos em madeira laminada.
A galeria conta em seu acervo com obras únicas e gravuras de artistas e arquitetos que marcaram época como Alfredo Volpi, Almir Mavignier, Burle Marx, Cláudio Tozzi, Lothar Charoux, Lucio Costa, Maurício Nogueira Lima, Niobe Xandó e Oscar Niemeyer.
A galeria promove a venda de diversos livros que enaltecem a cultura brasileira e colaborou com fotos e documentos do seu acervo nos seguintes livros nacionais e internacionais: JORGE ZALSZUPIN, de Maria Cecília Loschiavo pela editora  Olhares em 2014, DESENHOS DA UTOPIA, de Jayme Vargas e Ruy Teixeira, pela Editora Olhares de 2016, com o seu expertise para a catalogação do mobiliário moderno brasileiro e com o recente livro americano BRAZIL MODERN, de Aric Chen e Zesty Meyers - diretor da galeria R20th Century em NY, pela Editora Monacelli Press de 2016.
O agradável jardim vertical interno integra a natureza à arquitetura e encanta os visitantes com sua variedade tropical dando boas vindas.

ALAMEDA LORENA, 1996  |  JARDINS | SÃO PAULO | SP |  BRASIL  |  CEP 01424.002 | lorena@passadocomposto.com.br