Valdir Cruz
Valdir Cruz nasceu em Guarapuava, no sul do Paraná, em 1954. Embora esteja vivendo nos Estados Unidos há mais de vinte e cinco anos, o foco principal de seu trabalho em fotografia é o povo, a arquitetura e a paisagem do Brasil. De 1994/2000, concentrou em Faces da Floresta, projeto que documentou a vida dos povos indígenas do norte da Amazônia e que lhe valeu, em 1996, uma bolsa da Fundação Guggenheim. Entre suas publicações está Catedral Basilica de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais (Nova Iorque: Brave Wolf Publishing, 1996); Faces of the Rainforest (Nova Iorque: Throckmorton Fine Art, 1997); suas fotografias também aparecem no aclamado Darkness in El Dorado, de Patrick Tierney (Nova Iorque: W. W. Norton, 2000); Faces of the Rainforest – The Yanomami (Nova Iorque: powerHouse Books, 2002); com o apoio da Fundação Guggenheim, Faces da Floresta – Os Yanomami (São Paulo: Cosac & Naify, 2004); Carnaval, Salvador – Bahia –1995/2005 (Nova Iorque: Throckmorton Fine Art, 2005); O caminho das águas (São Paulo: Cosac & Naify, 2007); com patrocinio da Fundação Stickel, RAÍZES – Árvores na paisagem do Estado de São Paulo (São Paulo: Imprensa Oficial, 2010); e BONITO – Confins do Novo Mundo (Rio de janeiro: Capivara Editora, 2010); com patrocinio do BNP Paribas. Seu trabalho está presente nas coleções permanentes do Museu de Arte de São Paulo (MASP), do Museum of Modern Art (MoMA), de Nova Iorque, e do Smithsonian Institute, em Washington, D.C., entre outras. Seu principal representante nos Estados Unidos é a galeria Throckmorton Fine Art, Inc., em Nova Iorque. Valdir Cruz divide seu tempo entre seus estudios em Nova Iorque e São Paulo.

Ilustração: Julio Dui
voltar home